Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Summer Of Soul relembra o festival que uniu música negra e política

Depois de 50 anos, o filme Summer of Soul resgata o Harlem Cultural Festival, evento que reuniu a nata da música negra norte-americana em 1969. O evento fala de um período marcado por lutas político-sociais e raciais e por festivais, mas nem todos ganharam a visibilidade que mereciam. Rafael Jr fala um pouco sobre o que viu em Summer of Soul.

Veja Também:

O ano de Lazzo Matumbi tem álbum de inéditas, clipe, documentário e tributo.
Entrevista Letieres Leite: “Toda música brasileira é AfroBrasileira”.
Djonga, Flora Matos, Black Alien, Hot e Oreia e outros em novos clipes de rap e trap.

Por Rafael Jr*

Summer Of Soul é sobre o “Woodstock da música negra”, que aconteceu no bairro do Harlem, em Nova York, EUA, em 1969. O Festival Cultural do Harlem (Harlem Cultural Festival.) reuniu os maiores nomes da cultura “Black” daquele momento, dos tradicionais grupos Gospel ao moderno funk psicodélico, colorido e misturado ao rock lisérgico. A direção é de Ahmir Questlove Thompson, o fenomenal pesquisador, DJ e baterista do grupo The Roots.

Costurando música e questões políticas, sociais e raciais, o filme resgata imagens que ficaram esquecidas por mais de 30 anos e ressurgem com uma força brutal, num momento propicio pra essas ainda necessárias discussões. O subtítulo é uma referência clara e direta à música de Gil Scott-Heron, “The Revolution Will Not Be Televised”, do álbum Pieces of a Man (1971), uma espécie de avô do rap e da cultura hip hop.

Não faltam personagens históricos da luta racial americana, de Malcolm X e Martin Luther King aos Panteras Negras, entre outros menos conhecidos, muito bem contextualizados entre as falas e músicas dos artistas. Uma verdadeira constelação de diamantes negros: BB King, Nina Simone, Stevie Wonder, Staple Singers, Mongo Santamaria, Sly and The Family Stone, Gladys Knight & The Pips, Max Roach, Mahalia Jackson etc, representando o melhor do blues, soul, gospel, jazz e R&B americano, num momento divisor de águas das transformações sociais da comunidade negra.

Um filme necessário não apenas para amantes da música afro americana, mas pra qualquer um que almeja uma sociedade menos desigual, com divisão de renda mais justa e que o fator “cor/raça” não seja excludente.

Black is Beautiful ❣️

* Rafael Jr é Músico sergipano, colecionador de discos e integrante das bandas Snooze, Maria Scombona e Ferraro Trio

N.E.: Summer of Soul (…ou, Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada) está atualmente disponível para streaming com uma assinatura no Hulu por US$ 5,99 / mês, depois de uma Avaliação gratuita de 30 dias.

Veja o trailer de Summer Of Soul:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in