Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Os melhores discos baianos de 2019 pela crítica

Jornalistas, críticos, radialistas, produtores de programas de rádio e editores escolherem os melhores discos baianos de 2019 pela crítica. 

Finalmente, vamos divulgar os resultados das votações de melhores discos de 2019. Começamos com os melhores discos baianos do ano segundo a crítica. Reunimos jornalistas, críticos, radialistas, produtores de programas de rádio e editores de sites e revistas, num total de 31 votantes. Cada um pôde votar em até 10 álbuns, resultando no total de 100 discos citados, uma demonstração da diversidade e da produção rica que vive a Bahia. Lembrando que tivemos mais de 200 discos produzidos no estado em 2019.

Outras mostras dessa diversidade é que tivemos vários discos de várias partes do estado, com o interior aparecendo forte, dois deles na lista final dos dez mais votados. Assim como também temos estilos bem variados. Pop, rock, jazz instrumental, MPB e muito dos ritmos contemporâneos da Bahia presentes entre os 10 mais votados. A ausência de rap entre estes 10 parece circunstancial, já que vários discos do estilo foram votados e estão espalhados nas listas dos votantes (veja o final quem participou da votação).

Os discos baianos mais votados:

_______________________

1 – BaianaSystem – O Futuro Não Demora – 19 votos

As águas tranquilas de Itaparica serviram de guarida para o BaianaSystem dar um tempo do ritmo frenético de shows e viagens que vinha fazendo desde que se tornou um dos principais nomes da música brasileira dos últimos anos. A banda deu uma freada, desacelerou, saiu um pouco de Salvador e entrou no ritmo bucólico da pequena cidade do outro lado da Baía de Todos os Santos. Nesse clima, o grupo lançou ‘O Futuro Não Demora’, que aponta para novos rumos e consolida uma forma própria de encarar o mundo. Marcado pela inventividade, inquietação e um inconformismo de seguir padrões pré-estabelecidos, o grupo chega a dez anos com escolhas que fogem do que dita o mercado hoje em dia. Em seu terceiro disco, lançou um trabalho conceitual, sem apostar em músicas avulsas, mas com um diálogo entre as partes do início ao fim. A água é a inspiração e o mote da primeira parte do álbum, enquanto o fogo consolida a segunda parte. Lado A e Lado B, simultaneamente, em oposição e se complementando. O peso acelerado do pagodão e a euforia frenética de outros ritmos, que marcaram alguns hits da banda, são deixados um pouco de lado para um foco maior em outras referências. Em ‘O Futuro não Demora’ o grupo expande o diálogo com a América Latina, se reforça com samba-reggae, afoxé e ritmos afro-baianos e chama para reflexão. A guitarra baiana, os beats, as batidas percussivas, o groove e a verve discursiva permanecem, mas navegando por outros mares. Tudo isso se encaixa na decisão de se refugiar em Itaparica. Como um grande muro de pedra em frente a Salvador, a Ilha de Itaparica separa a capital do Recôncavo Baiano. É o elo entre o urbano e o rural, a modernidade e a tradição, a tranquilidade e a agitação, o passado e o futuro. Terra de lendas antropofágicas, do poder das águas lendárias e seculares da Fonte da Bica e da força dos terreiros ali presentes. Foi ali, que o BaianaSystem escolheu como ambiente para desacelerar, sair do ritmo vertiginoso de shows, estúdios e do caos da cidade grande. Quase um refúgio. Ambiente propício para se virar a chave. ‘O Futuro Não Demora’ traz a musicalidade da banda mais fresca e arejada do que nunca. Se os dois primeiros discos reunia material apresentado nos shows, ideias antigas, versões para músicas trabalhadas em outros projetos de seus integrantes, como Dubstéreo e Bemba Trio, ou singles anteriores, nesse novo disco há, pela primeira vez, todo um conceito pensado do início ao fim. Quase todas as faixas são inéditas e pensadas exclusivamente para o álbum. As exceções são “Saci”, que já aparecia com Russo no Bemba Trio; “Melô do Cento da Terra”, extraída da trilha sonora do filme ‘Trampolim do Forte’; e “CertoPeloCertoh”, do rapper parceiro Vandal, que vem há algum tempo a apresentando nos shows do grupo. O BaianaSystem segue mostrando que ainda é possível fazer discos cheios com muito a dizer, mas falar muito dizendo pouco, se utilizando de subjetividades Russo, Beto Barreto e companhia seguem mantendo lá no alto o poder que a música pop brasileira pode gerar, em musicalidade e em força poética.

(ouça aqui)


2 – Livia Nery – Estranha Melodia
– 17 votos


Não é toda hora que vimos um artista estrear com um disco tão primoroso quanto ‘Estranha Melodia’. Livia Nery não é iniciante, mas demorou bastante para soltar seu primeiro disco cheio. Antes já havia lançado um single com duas faixas e flertado com diversas sonoridades em shows, sempre tendo beats e efeitos em confluência com sua voz. ‘Estranha Melodia’ é resultado dessas experimentações e mostra uma cantora mais segura de si e uma compositora mais madura. Continuaram presentes o namoro com o trip hop, o flerte com sonoridades jamaicanas e a perícia com timbres eletrônicos, mas o que chama a atenção é a familiaridade com a riqueza da música brasileira. O álbum soa urbano e brejeiro com a mesma naturalidade, traz ambiências diurnas e noturnas com a mesma intensidade e tem arranjos que valorizam a capacidade dela trafegar por essas referências com a maestria de uma veterana. Mesmo com refinamento, algumas canções de ‘Estranha Melodia’ têm a força para figurar entre aqueles clássicos que reverberam por anos nas rádios e no gosto popular e isso é um grande mérito. Com a parceria de Curumin na produção, Livia consegue dar unidade a um trabalho que soa ao mesmo tempo contemporâneo e antigo. Um primor.

Estreia. Leia o que falamos do disco.

(ouça aqui)

3 – Teago Oliveira – Boa Sorte – 14 votos

A carreira de Teago Oliveira como líder, vocalista e guitarrista da Maglore já vinha rendendo a respeitabilidade desejada por qualquer artista. Seu trabalho como compositor também já gerava frutos interessantes, com gente do quilate de Erasmo Carlos, Gal Costa e Pitty gravando composições suas. Faltava apenas um disco solo para externar seu lado mais existencial e escancarar de vez um artista além de sua banda. ‘Boa Sorte’, seu primeiro disco de estúdio em carreira solo, consegue isso e mostra alguns aspectos que Teago ainda não havia exposto. Como músico ele absorve quase todas as funções nas gravações, tocando guitarra, violão, contrabaixo, conga, surdo, teclado e auto-harp. Como compositor extrapola os limites de sua banda e passeia por outras praias. Seu repertório autoral – são 11 faixas inéditas, com apenas duas parcerias, além de uma música de Marceleza de Castilhos – alarga as referências e mostra um artista totalmente influenciado pela MPB dos anos 1970. No disco dá para perceber ecos que vão de Caetano e Gil a 14 Bis, Belchior e Jorge Ben Jor. Ele mantém as melodias envolventes já vistas na Maglore, mas amplia as referências criando uma ambiência sonora, com arranjos intensos e uma estética que remetem ao passado. Acompanhado de mellotron, cordas e percussão, aparece menos amarrado a convenções e mais solto. Um disco de estreia certeiro. Leia o que falamos do disco.

(ouça aqui)

4 – Pitty – Matriz – 13 votos

Criada e bem sucedida no ambiente do rock, a baiana Pitty surpreendeu a todos em seu quinto disco, com um retorno à sua terra matriz e um alargamento das fronteiras sonoras. Em ‘Matriz’ a cantora e compositora se reconecta com diversas referências de sua história e aponta novos caminhos para sua música. Ela não abandonou o rock, o espírito continua presente, mas o utiliza para dialogar com outras influências e sonoridades. Enxertou groove, beats, percussão, incluiu rocksteady, reggae e levada de capoeira e recheou o álbum de convidados baianos. Lazzo Matumbi, Larissa Luz, Nancy Viegas e BaianaSystem contribuem nos novos rumos e na ressignificação de Pitty. O disco a coloca sintonizada com a música baiana contemporânea, bem diferente daquela que deixou quando foi morar em São Paulo no início dos anos 2000.  Leia o que falamos do disco.

(ouça aqui

5 – Larissa Luz – Trovão – 12 votos

Três anos após ‘Território Conquistado’, a cantora, compositora e atriz Larissa Luz voltou à cena com ‘Trovão’, ampliando sua ideia de afrofuturismo. Definido por ela como “Macumba pop”, o disco mantém a essência ritualística, os versos fortes, mas pega ainda mais forte nas batidas eletrônicas, pela mão do produtor Rafa Dias. Em 13 faixas, repletas de convidados, Larissa bebe dos terreiros e de uma África contemporânea para criar uma sonoridade que vai do trap ao experimentalismo eletrônico.  Leia o que falamos do disco.

 (ouça aqui)

6 – Roça Sound – Tabaréu Moderno – 11 votos

melhores discos baianos 2019 critica Roça SoundPara alguns o cenário musical de Feira de Santana pode passar despercebido, mas quem está mais atento tem acompanhado uma cena fértil e muito diversa. Um dos nomes com a carreira mais longeva e consolidada na cidade é o grupo Roça Sound, que nesse terceiro álbum abre o leque e traz uma veia mais interiorana para sua sonoridade. O nome do disco, ‘Tabaréu Moderno’, já indica que o costumeiro trato com ritmos jamaicanos ganhou o suingue da cultura nordestina e referências do interior. O resultado é um tempero bem dosado, criativo e suingado de danceHall, ragga, dub, dembow, reggae, além de rap, afrobeat, e do que se convencionou chamar de Bahia Bass, ao lado de chula, samba de roda, arrocha, ijexá e “forró”.

 (ouça aqui)

7 – Dona Iracema – Balbúrdia – 10 votos

melhores discos baianos 2019 critica Dona IracemaSe o rock está fora de moda e se o rock baiano para muitos parece morto, é do interior do estado que as guitarras tem soado mais criativas. De Vitória da Conquista, a banda Dona Iracema mostra um disco vigoroso, que apresenta ritmos nordestinos atrelados a um rock autoral de responsa. A banda consegue equilibrar suingue com peso, contestação com bom humor, alcançando, com muita categoria, uma sonoridade o que denominaram de caatincore.

(ouça aqui)

8 – Virginia Rodrigues – Cada Voz É Uma Mulher – 9 votos

melhores discos baianos 2019 critica Virgínia RodriguesCom produção de Leonardo Mendes e Tiganá Santana, o sexto álbum de Virgínia Rodrigues traz sua poderosa voz lírica interpretando narrativas femininas de países de língua portuguesa. Indo do erudito ao brejeiro, ela canta compositoras de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal, entre elas Iara Rennó, Luedji Luna, Lena Bahule, Maria Carolina de Jesus, Sara Tavares, Mayra Andrade e Ceumar.

(ouça aqui)

9 – Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu e Ziminino – Ziminino – 8 votos

O inquieto Letieres Leite teve um ano agitado, com novo show da Orkestra Rumpilezz e produções com Maria Bethânia, mas teve tempo também de lançar mais uma preciosidade saindo de sua mente fértil. Formado há dez anos, o Letieres Leite Quinteto conseguiu lançar seu primeiro trabalho finalmente em 2019. ‘O Enigma Lexeu’ traz sete temas no mesmo espírito que consagrou o líder do grupo, apresentar uma música com sonoridade afro-brasileira, tendo a percussão à frente e utilizando o jazz como linguagem. 

(ouça aqui)

melhores discos baianos 2019 critica Ziminino

Formado por dois proeminentes nomes do cenário musical baiano, os músicos Ricô Beis (OQuadro) e Rafa Dias (ÀTTØØXXÁ), o duo Ziminino estreou em alto nível. Produzido em colaboração com Chief Boima e lançado pelo selo da INTL BLK, o álbum expande os universos já conhecidos dos dois músicos. O projeto explora as culturas de povos espalhados pela diáspora africana, partindo das raízes afro-brasileiras, passando por funk carioca, MPB, hip hop e indo até musica eletrônica, afropop e rock. Leia o que falamos do disco.

(ouça aqui)

10 – Margareth Menezes – Autêntica – 7 votos

melhores discos baianos 2019 critica Margareth MenezesEm seu primeiro disco de estúdio após 11 anos, Margareth Menezes mostra que continua tendo o que dizer e mostrar aos 57 anos. Em ‘Autêntica’ ela reafirma a necessidade de falar da mulher e a luta contra o preconceito racial, temas sempre presentes em sua obra. Em 13 faixas, reúne músicas próprias e de compositores de diferentes gerações: Gilberto Gil, Luedji Luna, Carlinhos Brown, Jorge Vercilo e Larissa Luz.

(ouça aqui)

_______________________

Quem votou:

Ana Paula Marques (Revista Gambiarra – Vitória da Conquista/Salvador)
Alexandre Afonso (Rock Freeday – Salvador)
Chico Castro Jr (Jornal A Tarde e blog Rock Loco – Salvador)
Daniela Souza (Educadora FM – Salvador)
DJ Branco (Evolução Hip Hop – Salvador)
Elsimar Pondé (Rádio Globo FM Feira e Transamérica Hits – Feira de Santana)
Eric Adan (Faixa 2 – Itabuna)
Fabrício Brandão (Revista Diversos Afins – Ilhéus)
Ferdinand Junior (Cena Rock – Barreiras)
Fernando Gomes (VICE/Noisey – Salvador)
Gabriel Soares (Rap071 – Salvador)
Hamurab Dias (Jornal Folha do Estado – Feira de Santana)
Juliana Dias (Especial das Seis – Salvador)
Julli Rodrigues (Grupo Metrópole e blog Ouvindo Coisas – Salvador)
Karol Freitas (Programa Sábado Livre – Rádio Sociedade News – Feira de Santana)
Laura Fernandes (Jornal Correio* – Salvador)
Leonardo Cima (Portal Soterorock – Salvador)
Lucas Nogueira (Tambor Features – Feira de Santana)
Luciano Matos (elCabong e Radioca – Salvador)
Luria Sarraf – (Tambor Features – Feira de Santana)
Marcelo Argolo (Revista Continente – Salvador)
Marilia Moreira (Jornal Correio* – Salvador)
Nelson Oliveira – Salvador (Scream & Yell – Salvador)
Paula Carvalho (Revista Bravo – São Paulo)
Paula Holanda Cavalcante (Feira Coletivo e Oganpazan – Feira de Santana)
Pedro Vivas (Crush em Hi-Fi – Salvador)
Pérola Mathias (Poro Aberto – SãoPaulo)
Rafael Flores (Revista Gambiarra – Vitória da Conquista/Salvador)
Ramon Prates (Bahia Rock – Brasília)
Renato Cordeiro (Multicultura – Educadora FM – Salvador)
Sandro Telles (Tambores da Liberdade – Educadora FM – Salvador)

Como cada um votou:

– Ana Paula Marques (Revista Gambiarra – Vitória da Conquista/Salvador)
Larissa Luz – Trovão
Roça Sound – Tabaréu Moderno
Casapronta – Como a Fúria da Beleza e do Sol
Dona Iracema – Balbúrdia
Colibri – Canto de Colibri
Giovani Cidreira – Mix$take
Nem Tosco Todo – Música Rápida para Pessoas Apressadas
Taro – Água Marinha
Ziminino – Zumininu
Sons de Mercúrio – Entre Crendices e Amores Pagãos

– Alexandre Afonso (Rock Freeday – Salvador)
Electric Poison – Live Wire
Gal Costa – A Pele do Futuro ao Vivo
Maglore – Maglore Ao Vivo
Margareth Menezes – Autêntica
Mystifier – Protogoni Mavri Magiki Dynasteia
Pastel de Miolos – Mundo Podre
Pitty – Matriz
Veuliah – Mystical Reasons
Vovó do Mangue – Sun
Flor Serena – Rancho das Estrelas

– Chico Castro Jr (Jornal A Tarde e blog Rock Loco – Salvador)
Casapronta – Como a Fúria da Beleza do Sol
Calafrio – Hiato
Dona Iracema – Balbúrdia
Space Rovers – Space Rovers
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Brenoski Libertae – Brenoski Libertae
Meus Amigos estão Velhos – Mojave Mojito
Pessoa – Esse é Pra Tocar no Streaming
Os Reids – Deliciosamente Cru
Pajeh – Vida Rock ‘n’ Roll

– Daniela Souza (Educadora FM – Salvador)
Baiana System – O futuro não demora
Lívia Nery – Estranha Melodia
Teago Oliveira – Boa Sorte
Larissa Luz – Trovão
Lucas Santtana – O céu é velho há muito tempo
Pitty – Matriz
As Bahia e a Cozinha Mineira – Tarântula

– DJ Branco (Evolução Hip Hop – Salvador)
Baiana System – O Futuro não demora
Adão Negro- Alma leve
Larissa Luz – Trovão
Família Tríplice – Grandão sem medo
Lívia Nery – Estranha melodia
Olodum – Olodum 40 Anos
Telefunksoul e Dj Werson – Colla baiano Remixs
Ziminino – Ziminino
Conexão Tambor – Sintonia Baiana
Margarte Menezes – Altentica

– Elsimar Pondé (Rádio Globo FM Feira e Transamérica Hits – Feira de Santana)
A Vez das Minas – Vivências, Prego!
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Casapronta – Como a Fúria da Beleza do Sol
Dona Iracema – Balbúrdia
Don Guto – Artifício
Juli – Cantar & Voar
Roberto Mendes – Na Base do Cabula
Roça Sound – Tabaréu Moderno
Sons de Mercúrio – Entre Crendices e Amores Pagãos
Teago Oliveira – Boa Sorte

– Eric Adan (Faixa 2 – Itabuna)
Pitty – Matriz
Adão Negro – Alma leve
Baiana System – O futuro não demora
Iara Canuto – Iniciação (EP)

– Fabrício Brandão (Revista Diversos Afins – Ilhéus)
1- Livia Nery – Estranha Melodia
2- Ziminino – Ziminino
3- BaianaSystem – O Futuro Não Demora
4- Lucas Santtana – O Céu É Velho Há Muito Tempo
5- Dani Vieira – Ascender
6 – Teago Oliveira – Boa Sorte
7- Davzera – Nauzeainc, Vol. 0
8- Dona Iracema – Balbúrdia
9- Roberto Mendes – Na Base do Cabula
10- Cabuloso Trio – De Onde Venho

– Ferdinand Junior (Cena Rock – Barreiras)
01. Rubatosis – Carta ao Meu Ego
02. The Reids – Deliciosamente Cru
03. Pitty – Matriz
04. Meus Amigos Estão Velhos – Mojave Mojito (EP)
05. Dona Iracema – Balbúrdia
06. Rock Night Club – Tempo, Vento e Luz
07. Electric Poison – Live Wire
08. Casapronta – Como a Fúria da Beleza do Sol
09. Space Rovers – Space Rovers (EP)
10. Vovó do Mangue – Sun (EP)

– Fernando Gomes (VICE/Noisey – Salvador)
Baiana System – O Futuro Não Demora
Davzera – Vale do Silício
Giovani Cidreira – Mix$take
Jaya – Não Foi Tempo Perdido
Kolx – Naufrágio na Crosta do Ser
Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu
Livia Nery – Estranha Melodia
Margareth Menezes – Autêntica
Rap Nova Era – Renovação
Ziminino – Ziminino

– Gabriel Soares (Rap071 – Salvador)
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Larissa Luz – Trovão
Nova Era – Renovação
Pitty – Matriz
Olodum – Olodum 40 Anos
Roça Sound – Tabaréu Moderno
TrapFunk & Alivio – Papo Reto
Gabi Riddim – Incognituh
Alvaro Assmar – Family and Friends
Luedji Luna & Dj Nyack – Mundo

– Hamurab Dias (Jornal Folha do Estado – Feira de Santana)
A vez das minas – Vivências, prego! (EP)
Casapronta – Como a fúria da beleza do sol
Dona Iracema – Balbúrdia
Roça Sound – Tabaréu moderno
Sons de Mercúrio – Entre crendices e amores pagãos
Meus amigos estão velhos – Mojave mojito (EP)
Juli – Cantar & Voar (EP)
Colilbri – Canto de Colibri
Clariana – Pra Sentir
Adão Negro – Alma Leve

– Juliana Dias (Especial das Seis – Salvador)
1 – Obatalá – Uma Homenagem A Mãe Carmen – Grupo Ofá
2 – Trovão – Larissa Luz
3 – Cada voz é uma mulher – Virgínia Rodrigues
4 – O Futuro Não Demora – BaianaSystem
5 – Mangueira – A Menina dos Meus Olhos – Maria Bethânia
6 – Novas formas – RBF Rapaziada da Baixa Fria
7 – Estranha Melodia – Livia Nery
8 – Matriz – Pitty
9 – Boa Sorte – Teago Oliveira
10 – Sinfonia de Pagode – Sanbone Pagode Orquestra

– Julli Rodrigues (Grupo Metrópole e blog Ouvindo Coisas – Salvador)
REAL – Bruno Capinan
Matriz – Pitty
Estranha Melodia – Livia Nery
Mangas a Caminho da Feira nº1 (EP) – Tangolo Mangos
Ziminino – Ziminino
Trovão – Larissa Luz
O Enigma Lexeu – Letieres Leite Quinteto
Boa Sorte – Teago Oliveira
Vermelha – Joana Terra
Sinfonias de Pagode – Sanbone Pagode Orquestra

– Karol Freitas (Programa Sábado Livre – Rádio Sociedade News – Feira de Santana)
1. “Tabaréu Moderno” – Roça Sound
2. “Melanina” – Mila Santana feat. DJ Raiz
3. “Subindo o São Francisco” – Marcelo Fonseca
4. “Cada Voz é Uma Mulher” – Virgínia Rodrigues
5. “Lírios” – Marcola
6. “Entre Crendices e Amores Pagãos” – Sons de Mercúrio
7. “Crescente” – Danilo Fonseca
8. “Estranha Melodia” – Lívia Nery
9. “Vivências, Prego!” – A Vez das Minas
10. “Balbúrdia” – Dona Iracema

– Laura Fernandes (Jornal Correio* – Salvador)
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Sanbone Pagode Orquestra – Sinfonias de Pagode
Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu
Livia Nery – Estranha Melodia
Teago Oliveira – Boa Sorte
Larissa Luz – Trovão
Gal Costa – A Pele do Futuro ao Vivo

– Leonardo Cima (Portal Soterorock – Salvador)
01 Duda Spínola – Lumen
02 Pastel de Miolos – Mundo Podre
03 Fridha – ID
04 Os Reids – Deliciosamente Cru
05 Célula Mekânika – Thanatron
06 Meus Amigos Estão Velhos – Mojave Mojito
07 Space Rovers – Space Rovers
08 Dom Sá – Dom Sá
09 Sal Machado – Era pra ter Asas
10 Venice – Todo Dia uma Cicatriz

– Lucas Nogueira (Tambor Features – Feira de Santana)
Roça Sound – Tabaréu Modern
Dona Iracema – Balbúrdia
Flor Serena – Rancho das Estrelas
Juli – Cantar & Voar
Don Guto – Artifício
Ayam Ubráis Barco – Querenar
Rosa Idiota e Please Come July – Split
Peu – Peu Canta Ivete
Adão Negro – Alma Leve
BaianaSystem – O Futuro Não Demora

– Luciano Matos (elCabong e Radioca – Salvador)
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Lívia Nery – Estranha Melodia
Teago Oliveira – Boa Sorte
Pitty – Matriz
Dona Iracema – Balbúrdia
Virginia Rodrigues – Cada Voz É Uma Mulher
Roberto Mendes – Na Base do Cabula
Grupo Ofá – Obatalá – Uma Homenagem A Mãe Carmen
Sanbone Pagode Orquestra – Sinfonias de Pagode
Tangolo Mangos – Mangas a Caminho da Feira nº1 (EP)

– Luria Sarraf – (Tambor Features – Feira de Santana)
71nicius – Adiantando o lado
Agua de KoKo – Vib3 Vol.01
Alvaro Assmar – Family and Friends
Andrezza Santos – Alto Lá
Ayam Ubráis Barco – Querenar (EP)
Casapronta – Como a Fúria da Beleza do Sol
Comando 073 – O Comando Tá Na Pista
Peu – Peu Canta Ivete
Roça Sound – Tabaréu Moderno
Telefunksoul & DJ Werson – CollaBaiana

– Marcelo Argolo (Revista Continente – Salvador)
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Larissa Luz – Trovão
Letieres Leite Quinteto – Enigma Lexeu
Lívia Nery – Estranha Melodia
Lucas Santtana – O Céu é Velho Há Muito Tempo
Maria Bethânia – Mangueira: A Menina dos Meus Olhos
Pitty – Matriz
Roberto Mendes – Na Base do Cabula
Teago Oliveira – Boa Sorte
Virgínia Rodrigues – Cada Voz É Uma Mulher

– Marilia Moreira (Jornal Correio* – Salvador)
Estranha Melodia – Livia Nery
Trovão – Larissa Luz
Matriz – Pitty
O Futuro Não Demora – BaianaSystem
Mix$take – Giovani Cidreira
Obatalá: Uma Homenagem a Mãe Carmen – Vários Artistas
Chão de Terreiro – Gloria Bomfim
Boa Sorte – Teago Oliveira
Sinfonias de Pagode – Sanbone Pagode Orquestra

– Nelson Oliveira – Salvador (Scream & Yell – Salvador)
1 – Larissa Luz – Trovão
2 – BaianaSystem – O Futuro Não Demora
3 – Teago Oliveira – Boa Sorte
4 – Bruno Capinan – Real
5 – Pitty – Matriz
6 – Livia Nery – Estranha Melodia
7 – Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu
8 – Roça Sound – Tabaréu Moderno
9 – TrapFunk & Alívio – Papo Reto
10 – Rap Nova Era – Renovação

– Paula Carvalho (Revista Bravo – São Paulo)
BaianaSystem – O Futuro Não Demora
Gilberto Gil – GIL – Trilha sonora Grupo Corpo
Grupo Ofá – Obatalá – Uma Homenagem A Mãe Carmen
Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu
Livia Nery – Estranha Melodia
Marcola – Lírios EP
Margareth Menezes – Autêntica
Rap Nova Era – Renovação
Virginia Rodrigues – Cada Voz É Uma Mulher
Ziminino – Ziminino

– Paula Holanda Cavalcante (Feira Coletivo e Oganpazan – Feira de Santana)
Aphorism/Rabujos Split
A Vez das Minas — Vivências, Prego!
Larissa Luz — Trovão
Pitty — Matriz
Roça Sound — Tabaréu Moderno

– Pedro Vivas (Crush em Hi-Fi – Salvador)
Baiana System – O futuro não demora
Teago Oliveira – Boa Sorte
Livia Nery – Estranha Melodia
Grupo Ofá – Obatalá – Uma homenagem a Mãe Carmen
Giovanni Cidreira – Mixstake

– Pérola Mathias (Poro Aberto – SãoPaulo)
1. Teago Oliveira – Boa sorte
2. Livia Nery – Estranha melodia
3. Ziminino – Ziminino
4. Tuzé de Abreu – Contraduzindo
5. Virgínia Rodrigues – Cada voz é uma mulher
6. Junix 11 + May HD – Aves, impelidas à deriva, buscam pouso
7. Interregno Trio
8. Luedji Luna – Mundo
9. Lucas Santtana – O céu é velho há muito tempo
10. Emijota – Estilhaço Itinerante

– Rafael Flores (Revista Gambiarra – Vitória da Conquista/Salvador)
Taro – Água Marinha
Dona Iracema – Balbúrdia
Roça Sound – Tabaréu Moderno
Teago Oliveira – Corações em Fúria
Letieres Leite – O Enigma Lexeu
Tiganá Santana – Vida-Código
Lívia Nery – Estranha Melodia
Lucas Santtana – O Céu é velho há muito tempo
TrapFunk&Alivio – Vem de Lacoste
Margareth Menezes – Autêntica

– Ramon Prates (Bahia Rock – Brasília)
A Vez das Minas – Vivências, Prego! (EP)
Dona Iracema – Balbúrdia
Eldo Boss – Rebaianizar (EP)
Livia Nery – Estranha Melodia
Los Canos – Volta?
Luiz Caldas – Have a Sweet
Meus Amigos estão Velhos – Mojave Mojito (EP)
Pitty – MATRIZ
Sanbone Pagode Orquestra – Sinfonias de Pagode
Soft Porn – Vol. 2

– Renato Cordeiro (Multicultura – Educadora FM – Salvador)
1. Virgínia Rodrigues – Cada Voz É Uma Mulher
2. BaianaSystem – O Futuro Não Demora
3. Lívia Nery – Estranha Melodia
4. Roberto Mendes – Na Base do Cabula
5. Joana Terra – Vermelha
6. Lucas Santtana – O Céu é Velho Há Muito Tempo
7. Ziminino – Ziminino
8. Letieres Leite Quinteto – O Enigma Lexeu
9. Teago Oliveira – Boa Sorte
10. Paquito – Xará

– Sandro Telles (Tambores da Liberdade – Educadora FM – Salvador)
Grupo Ofá – CD Obatalá
Baiana System – O futuro não demora
Olodum – Olodum 40 Anos
Maria Bethânia – Mangueira, a menina dos meus olhos
Transafoxé – Tecnologia ancestral
Virginia Rodrigues – Cada voz…
Roberto Mendes – Na base…
Margareth Menezes – Autêntica
Lucas Kintê – Esse ano…
Larissa Luz – Trovão

Tagged under:

, , ,

3 Comentários

  1. Pingback: BaianaSystem está confirmado no Furdunço 2020 | » Para quem gosta de música sem preconceitos

  2. Pingback: Os melhores discos baianos de 2019 pela votação popular | » Para quem gosta de música sem preconceitos

  3. Pingback: Os melhores discos brasileiros de 2019 pela crítica baiana | » Para quem gosta de música sem preconceitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in