Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Artistas e festivais promovem shows online para animar isolamento

O fechamento de espaços culturais, cancelamentos de shows e festivais e o isolamento da população têm levado vários artistas, gravadoras e organizações a realizarem apresentações musicais e festivais online como alternativa. Em várias partes do mundo, diversos shows já foram realizados e outros tantos estão programados para os próximos dias com nomes famosos e não tanto.

Veja também:
Casas de shows param de funcionar em Salvador e eventos são cancelados.

Artistas como Neil Young, Arnaldo Antunes, John Legend, André Abujamra, Zélia Duncan e Teresa Cristina já utilizaram as redes sociais e a internet para apresentações online. A partir dessa semana vários outros artistas vão se apresentar, boa parte deles dentro de uma ideia ainda mais interessante, festivais de música online. Eles estão sendo programados em várias partes do Brasil e do mundo.

Todas essas apresentações online ajudam a sensibilizar a população para a necessidade de ficar em casa durante a crise do coronavírus. Acabam sendo também programas solidários, que ajudam a manter o senso de comunidade entre artistas e fãs. Além de servir de alerta para a especificidade do setor cultural, que totalmente paralisado, deixa artistas, músicos, técnicos, agências e várias empresas numa delicada situação econômica. Estimativas sugerem que apenas na indústria da música o déficit econômico será de até US$ 5 bilhões (25 bilhões de reais).

Festivais online

A inspiração dos festivais vem de Portugal. Através de uma iniciativa conjunta que uniu músicos, editoras e agência portuguesas, foi criado um evento com apresentações ao vivo com transmissão online para o público. O festival Eu Fico Em Casa teve início na última terça-feira (17) e segue até o dia 22, levando quase uma centena de shows ao público ao longo de seis dias. São apresentações curtas, de cerca de meia hora, transmitidas nas contas de Instagram dos próprios músicos e bandas participantes (ou na conta de Instagram criada para o festival, @FestivalEuFicoEmCasa) e acontecem diariamente sempre entre as 17h e as 23h30. Entre as atrações estão nomes como Boss AC, Cristina Branco, Legendary Tigerman, Ana Moura, Fausto, Noiserv, António Zambujo, Matias Damásio, Pedro Abrunhosa, BRANKO, Ana Bacalhau ou Capicua.

A ideia pegou e vários outros festivais estão programados pelo mundo. No Brasil já são pelo menos seis programados. Um deles é a versão tupiniquim do próprio evento português. O festival Fico em Casa (acompanhe pelo @festivalficoemcasabr) terá na próxima semana 76 artistas se apresentando em mais de 40 horas de programação nesta primeira edição. São 25 minutos por artista, com nomes que vão do rock ao samba, do funk à MPB, do Rap ao Reggae. Entre os artistas estão Daniela Mercury, Adriana Calcanhoto, Chico César, Emicida, Rael, Boogarins, Maria Gadu, Paulo Miklos, B Negão, Francisco El Hombre, entre muitos outros. Vej ao cartaz abaixo. Os eventos serão transmitidos ao vivo e poderão ser acompanhados gratuitamente através do Instagram e outras redes sociais.

Artistas e festivais promovem shows online para animar isolamento

Uma iniciativa do jornal O GLOBO segue na mesma direção. O festival #Tamojunto vai promover, de sexta (20) a domingo (22), das 18h às 22h, lives de artistas conhecidos nacionalmente. A ideia também é proporcionar entretenimento gratuito e online para quem está enfrentando a pandemia do novo Coronavírus sem sair de casa. Cerca de 30 artistas aderiram ao projeto de forma espontânea e sem exigir nenhum tipo de cachê.

Entre os nomes confirmados estão Martinho da Vila, Adriana Calcanhotto, Mallu Magalhães, Jards Macalé, Scalene, Cícero, Marcos Valle, Duda Beat, Nego do Borel, Dona Onete, Hamilton de Holanda e Margareth Menezes. As transmissões acontecerão ao vivo direto do perfil do Instagram de cada artista e simultaneamente no site e nas redes sociais do GLOBO, onde o festival poderá ser acompanhado na íntegra. A ideia é ter uma produção intimista, gravada dentro da própria casa dos artistas.

Artistas e festivais promovem shows online para animar isolamento

Outra iniciativa é o Festival Lá de Casa (@festivalladecasa), que será realizado de de sexta (20) a domingo (22), das 17h à meia-noite. O evento terá shows de 42 artistas com duração de 30 minutos cada, em transmissão ao vivo pelo Instagram. Entre os nomes programados estão a dupla Anavitória e as cantoras Ana Muller e Bruna Caram.

A Universal Music em parceira com a GTS também vão promover um evento, o Festival Música em Casa, que também começa na sexta (20) e vai até o domingo (29). Sempre às 19h, o festival vai receber nomes da música pop nacional, como Léo Santana, Sandy, Michel Teló, Luíza Sonza, Maneva, Projota, Tropkillaz, As Bahias e a Cozinha Mineira e Melim. O acesso será pelo link disponibilizado no perfil da Universal Music (@umusicbrasil) que redirecionará até a conta do artista que está se apresentando. 

Artistas e festivais promovem shows online para animar isolamento
Há também iniciativas mais regionais. Na Bahia, a união da Trinca de Selos, Banana Atômica e do Feira Noise vai promover o Festival Fico em Casa Bahia, programado para acontecer entre os dias 24 a 27 de março. A programação inclui dezenas de bandas, seguindo a mesma lógica dos outros, com transmissões via instragam ao vivo direto do perfil das bandas. Entre as atrações estão nomes da Bahia,  como Sanitário Sexy, Meus Amigos Estão Velhos e A Flauta Vértebra, e convidados de outras praças como as bandas finlandesas Ozzmond e Blueintheface e a paraibana Zefirina Bomba.

No Rio Grande do Sul, a Loop Discos está promovendo o festival Isolamento Acústico, com apresentações diárias de atrações gaúchas. O evento começou na terça-feira (17) e segue até 9 de abril, sempre às 22h, no IGTV da @loopreclame. Entre as atrações estão nomes como Duca Lendeicker, João Maldonado, Lucas Silveira (da Fresno) e Antonio Villeroy, entre outros.

O poder público também está atento com a demanda e necessidade dos artistas. O Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), lançou o credenciamento para o Festival Te Aquieta em Casa, selecionando 120 conteúdos artísticos e culturais digitais das mais variadas linguagens artísticas, incluindo música, artesanato, contação de histórias, artes visuais, dança, teatro, expressões culturais populares, entre outras manifestações. 

Os contemplados serão remunerados com um valor de R$ 1.500,00 e terão suas páginas na internet – onde estará disponível o trabalho selecionado – divulgadas nas redes da Secult. O objetivo é movimentar a economia da cultura e da arte, ao mesmo tempo em que se incentiva as pessoas a permanecerem em suas casas. Os participantes terão acesso às regras do credenciamento no site da Secult (www.secult.pa.gov.br), que terá ainda instruções sobre a forma de gravação e postagem do material.

O Maranhão vai seguir um caminho parecido. O governador Flávio Dino (PCdoB), anunciou nesta quarta-feira (18) através das redes sociais que o estado também vai lançar um edital especial para apresentações de artistas pela internet durante o surto de coronavírus. Segundo ele, o objetivo é movimentar o setor econômico de eventos culturais durante a pandemia. 

Shows em casa

No Brasil, a onda de apresentações virtuais começou de forma não programada. A cantora Zélia Duncan estava passando o som no palco do Teatro Rival Refit, no Rio de Janeiro, no último dia 13, quando foi comunicada que a apresentação estava cancelada por conta da pandemia do novo coronavírus. Sem a presença do público, ela decidiu se apresentar assim mesmo, só ela e a banda no palco, transmitindo alguns momentos do show aos internautas de seu Instagram.

A ideia serviu de inspiração. Dia depois, na última segunda-feira(16), a cantora Teresa Cristina anunciou iniciativa semelhante no Instagram, apresentando sambas de Nelson Cavaquinho, Dona Ivone Lara, Paulinho da Viola, Chico Santana e Silas de Oliveira, músicas menos conhecidas. No mesmo dia, o cantor e compositor Leoni fez uma apresentação online de sua casa, transmitida por seu canal no YouTube, o Outro Futuro. Ele continua com os shows especiais ao vivo pelo canal.

Não parou mais e nos últimos dias podemos ver nomes como Arnaldo Antunes, André Abujamra, Paulo Miklos, Donatinho, Kiko Dinucci e Alexandre Leão fazendo transmissão de apresentações caseiras. O show Guinga e as Vozes Femininas, em que o compositor recebeu Leila Pinheiro e o violonista Marcus Tardelli, foi mantido no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, mas sem plateia e com transmissão ao vivo no YouTube. 

No próximo sábado (21), os músicos Juvenil Silva (PE) e Wander Wildner (RS) marcaram um duo à distância, o primeiro de suas carreiras. O objetivo é tentar arrecadar dinheiro para ambos, já que com está proibida a realização de shows. A ideia é interessante. O público precisa acessar o perfil @aovivoemcasa no Instagram criado especificamente para o show. Os interessados solicitam seguir o perfil e a produção entrará em contato, enviando o número de uma conta bancária para depósito de qualquer valor, sendo o preço sugerido de R$ 18.

A tendência é mundial. As apresentações online se tornaram comum em várias lugares e com artistas dos mais diversos. Muitas vezes rendendo momentos bem bonitos. Como uma apresentação de John Legend em sua casa tocando piano e cantando enquanto os filhos dançam e brincam ao redor (veja abaixo). Já o cantor do Coldplay, Chris Martin, fez um mini show nas mídias sociais na terça (17), com direito a hits de sua banda e um cover de “Life on Mars”, de David Bowie. Os dois estão dentro do movimento Global Citizen como mote #TogetherAtHome, que tenta contribuir para que as pessoas permaneçam em isolamento.

O cantor e compositor Neil Young anunciou uma série de performances ao vivo direto de sua casa, chamada Fireside Sessions e gravada por sua esposa, Daryl Hannah. A primeira foi ao ar na segunda-feira (16), como parte de uma campanha digital em apoio ao candidato democrata à presidência norte-americana Bernie Sanders.

Tem muito mais. Bruce Springsteen compartilhou seu show ao vivo no Hyde Park. Ben Gibbard fará transmissões diariamente, sempre às 20h (horário de Brasília), ao vivo direto de seu estúdio caseiro. Miley Cyrus criou uma série chamada BrightMinds e está transmitindo no seu perfil do Instagram. O cantor neo-zelandês Keith Urban também fez um pocket-show pelo Instagram com a esposa Nicole Kidman de plateia. O cantor de punk-pop Yungblud fez show maior, com uma hora de duração, incentivando os fãs a curtirem de suas casas enquanto ele tocava numa sala vazia.

Grammy também vai promover uma iniciativa para ajudar as pessoas do mundo inteiro a se manterem em quarentena na luta contra o coronavírus. O museu da premiação está fechado, mas a partir do dia 1° de abril vai disponibilizar materiais inéditos em seu site. Nos últimos meses, a Academia conduziu várias entrevistas com seus premiados e gravou, também, diversas performances. O conteúdo inclui papos e shows de nome como Billie Eilish, Finneas, Greta Van Fleet, Brandi Carlile, Yola, Bob Newhart, Kool and the Gang, X Ambassadors, Larkin Poe e Scarypoolparty. Iniciativas que se não resolvem a vida de ninguém, ajudam a dar mais graça a esses dias de isolamento e de clima tão carregado.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Chris played a mini gig at home earlier today on IG Live. @glblctzn @WHO @JohnLegend #TogetherAtHome

Uma publicação compartilhada por Coldplay🌙☀️ (@coldplay) em

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

#ConversationsInTheDark with interpretive dance by Luna & Miles, America’s most inexperienced dance troupe

Uma publicação compartilhada por John Legend (@johnlegend) em

1 Comentário

  1. Pingback: Artistas e festivais promovem shows online para animar isolamento | Poliarquia >

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in