Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Os melhores discos brasileiros de 2018 pela crítica

Veja o resultado da votação para os melhores discos brasileiros de 2018 pela crítica. Confira os 74 álbuns citados, os votos e os ganhadores de 17 jornalistas, blogueiros e radialistas.

A música brasileira continua vivendo um grande momento de renovação, com diversos novos nomes surgindo a cada ano. Isso não significa que os veteranos não estejam ativos e continuem deixando marcos na produção nacional. O ano de 2018 mostrou, mais uma vez, que distante do que ouvimos nas rádios e vemos na TV podemos assistir uma profusão de grandes discos, músicas e artistas vindos de todos os lados e de estilos os mais diversos.

Há os medalhões da música brasileira como Elza Soares, Gal Costa, Gilberto Gil e Caetano Veloso. E nomes bem novos, como Duda Beat, Baco Exu do Blues, Tuyo, Carne Doce, Djonga, Mahmundi e Mestre Anderson Miguel. Além, claro, de artistas que vem se estabelecendo cada vez mais como vozes fortes das gerações mais recentes, ai cabe Marcelo D2, Anelis Assumpção, Ronei Jorge, Ava Rocha e The Baggios.

Veja também:

Os melhores discos baianos de 2018 pela crítica.

Estes são os nomes que emplacaram seus discos na votação de melhores de 2018 organizado pelo el Cabong. Foram 74 discos citados por 17 jornalistas, radialistas, blogueiros e responsáveis por veículos. Baianos que tratam de músicas em diversos veículos no estado ou fora dele. Convocamos estes profissionais para escolher os melhores discos brasileiros de 2018. O grande destaque ficou para as mulheres, emplacando as três primeiras posições com sobras. Do quarto lugar em diante tivemos vários empates. O resultado vocês conferem abaixo, Outra votação, que publicaremos em seguida, traz os melhores discos baianos. Aguarde.

Elza Soares Deus é Mulher Disco‘DEUS É MULHER’ – ELZA SOARES – 10 VOTOS

Embalada pelo bem sucedido ‘A Mulher do Fim do Mundo’, de 2015, a veteraníssima cantora carioca repetiu a dose em 2018, com outro disco de inéditas (apenas o segundo da carreira) feito em parceria com diversos nomes da atual geração da música brasileira. ‘Deus é Mulher’ é como uma continuidade do anterior, com vários elementos presentes mais uma vez: a sonoridade contemporânea, com o sabor da brasilidade atual, textos certeiros sobre a atual realidade do país e o envolvimento com uma turma de produtores, músicos e compositores da nova geração.

Por trás do trabalho estão Guilherme Kastrup, Marcelo Cabral, Kiko Dinucci, Rodrigo Campos e Romulo Fróes, que produziram e também colaboram como músicos e compositores no disco. Outros compositores presentes que dão o tom do disco são Douglas Germano, Edgar, Tulipa, Mariá Portugal, Pedro Luís, Luciana Mello, entre outros. Elza consegue captar cada um deles e interpretar suas obras como se fossem de sua própria autoria. Uma intérprete que, aos 88 anos, não tem medo de soltar a voz e se mostrar ousada.

Duda Beat
‘SINTO MUITO’ – DUDA BEAT – 9 VOTOS

Sofrência pop é como a crítica vem chamando a música dessa jovem cantora e compositora pernambucana. Com batidas simples e letras que tratam de decepções amorosas, Duda Beat é sem dúvida uma das maiores revelações do ano com seu pop inofensivo. Primeiro ela chamou atenção na internet com seu hit “Bichinho”, depois sua mistura da chamada música brega com pop anos 80 ganhou a internet e em pouco tempo se tornou um pequeno fenômeno. E ela parece querer mais.

Anelis Assumpção melhores discos brasileiros de 2018 Crítica
‘TAURINA’ – ANELIS ASSUMPÇÃO – 8 VOTOS

Em seu terceiro disco, Anelis Assumpção se despe e se revela como nunca. Reflexões, perdas, paixões, dores, neuras e amores, tudo aparece escancarado nas 11 faixas do disco. A sonoridade traz a marca dessa paulista filha de um ícone de nossa música, encharcada de música jamaicana, dub/ reggae, mas também, rock e blues, ao mesmo tempo, e talvez por isso, soando brasileira, contemporânea e atualíssima.

Baco Exu do Blues The Baggios melhores discos brasileiros de 2018 Crítica
‘BLUESMAN’ – BACO EXU DO BLUES / ‘VULCÃO’ – THE BAGGIOS – 7 VOTOS

O segundo disco de Baco Exu do Blues provocou fortes discussões nas redes sociais, contra e a favor do disco, por inúmeros motivos. O fato é que Baco emplacou um trabalho ousado e provocador, consolidando a carreira no rap nacional, mesmo indo muito além do rap tradicional. Já os sergipanos da The Baggios vem colecionando bons discos há mais tempo. Depois do elogiado ‘Brutown’, não se contentaram em entrar numa zona de conforto e apostaram em mudanças de formação, ampliação de influências e uma sonoridade mais diversa. Em Vulcão’, o blues rock ganha ainda mais colorido com elementos do desert blues africano e de ritmos tradicionais sergipanos.

(ouça Bluesman) e (ouça Vulcão)

melhores discos brasileiros de 2018 Crítica‘AMAR É PARA OS FORTES’ – MARCELO D2/ ‘ENTREVISTA’ – RONEI JORGE / ‘OFERTÓRIO’ – CAETANO, MORENO, ZECA, TOM VELOSO – 5 VOTOS

Marcelo D2 nunca tinha ficado tanto tempo sem lançar novidades. Foram 5 anos desde ‘Nada pode Me Parar’, para ressurgir com um álbum em formato de ópera-rap, uma obra audiovisual conceitual. Ele volta a acertar em cheio e prova que ainda é um dos grandes nomes da música brasileira. Depois do fim da Ladrões de Bicicleta, Ronei Jorge havia lançado o projeto Tropical Selvagem. Em 2018, finalmente decidiu assumir a carreira solo, não sem deixar de lado a contribuição coletiva. Em ‘Entrevista’, suas composições aparecem aveludadas com vocais femininos e passeando pela música brasileira das últimas décadas com bastante personalidade. Caetano Veloso reuniu os três filhos, Moreno, Zeca e Tom, para um show especial, que acabou virando um registro saboroso. No repertório músicas dos quatro, versões de sucessos e novidades, quase sempre circundando a temática do amor. Uma celebração familiar.

(ouça Amar é para os Fortes), (ouça Entrevista) e (ouça Ofertório)

melhores discos brasileiros de 2018 Crítica
‘A PELE DO FUTURO’ – GAL COSTA/ ‘O MENINO QUE QUERIA SER DEUS’ – DJONGA/ ‘OK, OK, OK’ – GILBERTO GIL/ ‘PARA DIAS RUINS’ – MAHMUNDI/ ‘SONOROSA’ – MESTRE ANDERSON MIGUEL / ‘TÔNUS’ – CARNE DOCE/ ‘TRANÇA’ –  AVA ROCHA/ PRA CURAR – TUYO – 4 VOTOS

O empate entre oito discos dá o tom da diversidade da música brasileira e do resultado dessa votação. Na sexta colocação encontramos dois veteranos baianos, Gal Costa e Gilberto Gil; o rapper mineiro Djonga; a estreia de um novato da música tradicional pernambucana, Mestre Anderson Miguel; a banda indie-mpbística goiana Carne Doce; o grupo curitibano Tuyo, e as cantoras cariocas Ava Rocha e Mahmundi.

(ouça A Pele do Futuro), (ouça O Menino que Queria ser Deus), (ouça Para Dias Ruins), (ouça Sonorosa), (ouça Tônus), (ouça Trança), (ouça Pra Curar)

Como votou cada um dos eleitores:

Ana Paula Marques (Revista Gambiarra/ Revista Mega VCA)

Deus é Mulher – Elza Soares
Oferenda – Café Preto
Azul Moderno – Luiza Lian
Eterno Retorno – Pepeu Gomes
Qinho Canta Marina – Qinho
Sinto Muito – Duda Beat
Simulacre – Potyuara Bardo
Pra Dias Ruins – Mahmundi
Abacaxepa – Abacaxepa
Pra Curar – Tuyo

Chico Castro Jr (Jornal A Tarde/ blog Rock Loco)

OK OK OK – Gilberto Gil
Vulcão – The Baggios
Normal – Molho Negro
Taurina – Anelis Assumpção
Todos Nós – Carlos Careqa
Libertà – Os Replicantes
Puber – Jonas Sá
Viagem ao Coração do Sol – Cordel do Fogo Encantado
Libido – Autoramas
Tributo a Cartola – Orquestra Petrobrás Sinfônica

Daniel Oliveira (Revista Muito – Jornal A Tarde)

Taurina – Anelis Assumpção
Viagem ao Coração do Sol – Cordel do Fogo Encantado
Mansa Fúria – Josyara
Sinto Muito – Duda Beat
Entrevista – Ronei Jorge
Deus é Mulher – Elza Soares
Vulcão – The Baggios
A Pele do Futuro – Gal Costa
Bluesman – Baco Exu do Blues
Cavala – Maria Beraldo

Danilo Cruz (Oganpazan)

Gigantes – BK
S.C.A. (Sexo, Cocaína e Assassinatos) – FBC
Vulcão – The Baggios
Racif – Amaro Freitas
Amar é para os fortes – Marcelo D2
O menino Que Queria ser deus -Djonga
A pele do futuro – Gal Costa
Trança – Ava Rocha

Elsimar Pondé (Rádio Globo FM Feira e Transamérica Hits)

Bluesman – Baco Exu Do Blues
Entroncamento Fêra Clube – Bel Da Bonita
Deus É Mulher – Elza Soares
Casas – Rubel
Vários Artistas – Jah Van
Anelis Asumpção – Taurina
Sinto Muito – Duda Beat
Mulamba – Mulamba
Voador – André Prando
O Menino Que Queria Ser Deus – Djonga

Fernando Gomes (VICE/Noisey)

Jahvan – Bid/Vários
Tônus – Carne Doce
Comunista Rico – Diomedes Chinaski
Sinto Muito – Duda Beat
Ultrassom – Edgar
Deus é Mulher – Elza Soares
Amar é para os Fortes – Marcelo D2
Azul Moderno – Luiza Lian
Nada de Novo Sob o Sol – Trevo
Resíduos – Underismo

Juliana Rodrigues (Grupo Metrópole e blog Ouvindo Coisas)

Sinto Muito – Duda Beat
Deus é Mulher – Elza Soares
Bluesman – Baco Exu do Blues
Vulcão – The Baggios
Cavala – Maria Beraldo
Taurina – Anelis Assumpção
Trança – Ava Rocha
Relax – Kassin
Ponto de Mutação – Guilherme Kastrup
Voo Longe – Illy

Laura Fernandes (Jornal Correio*)

Bluesman – Baco Exu do Blues
Ok Ok Ok – Gilberto Gil
Ofertório – Caetano Veloso, Moreno, Tom e Zeca
Deus é Mulher – Elza Soares
Brasileiro – Silva
Sinto Muito – Duda Beat
Não Para Não – Pabllo Vittar
Tônus- Carne Doce
Casas – Rubel
Taurina – Anelis Assumpção

Leandro Pessoa (Música que o Pariu)

Jah Van – BiD + Fernando Nunes
Viagem Ao Coração do Sol – Cordel do Fogo Encantado
Deus é Mulher – Elza Soares
Somos – Barro
Azul Moderno – Luiza Lian
Taurina – Anelis Assumpção
Canto Guerreiro – Levantados do Chão – Renato Braz
Todo Mundo Vai Mudar – Dingo Bells
Avante Delírio – Saulo Duarte
Sonorosa – Mestre Anderson Miguel

Leonardo Cima (Portal Soterorock)

The Baggios – Vulcão
Duda Beat – Sinto Muito
Baco Exu do Blues – Bluesman
Molho Negro – Normal
Carne Doce – Tônus
Autoramas – Libido
Cólera – Acorde! Acorde! Acorde!
Caetano, Moreno, Zeca, Tom Veloso – Ofertório
Gilberto Gil – Ok, Ok, Ok
Alice Caymmi – Alice

Luciano Matos (el Cabong/ Radioca)

Rasif – Amaro Freitas
Ultrassom – Edgar
Mansa Fúria – Josyara
Neura – Juliano Guerra
Cavala – Maria Beraldo
Amar é para os fortes – Marcelo D2
Outono no Sudeste – Mauricio Pereira
Sonorosa – Mestre Anderson Miguel
Entrevista – Ronei Jorge
Vulcão – The Baggios

Marilia Moreira (Jornal Correio*)

OK OK OK – Gilberto Gil
Bluesman – Baco Exu do Blues
Ofertório – Caetano, Zeca, Tom e Moreno Veloso
Deus é Mulher – Elza Soares
Taurina – Anelis
Brasileiro – Silva
Mulamba – Tuyo
Vesúvio – Djavan
A Pele do Futuro – Gal Costa
Para Dias Ruins – Mahmundi
Sinto Muito – Duda Beat
O Menino que Queria Ser Deus – Djonga
Teoria do Cliclo da Água – Froid

Paula Carvalho (Revista Bravo)

Mansa Fúria – Josyara
Amar É Para os Fortes – Marcelo D2
Mormaço Queima – Ana Frango Elétrico
Gigantes – BK
S.C.A. – FBC
Sonorosa – Mestre Anderson Miguel
Pedra Preta – Teto Preto
Lição #2: Dorival – Quartabê
Trança – Ava Rocha
Entrevista – Ronei Jorge

Pérola Mathias (Poro Aberto)

Sonorosa – Mestre Anderson Miguel
Hackearragacocho – Marco Scarassatti
Lição #2: Dorival – Quarta Bê
Mormaço queima – Ana Frango Elétrico
Taurina – Anelis Assumpção
Poema – L_cio
O multiverso em colapso – Guizado
Radio Diaspora & Ba Kimbuta
O menino que queria ser deus – Djonga
Ava Rocha – Trança

Rafael Flores (Revista Gambiarra)

Casas – Rubel
Sinto Muito – Duda Beat
Deus é Mulher – Elza Soares
Vulcão – The Baggios
Pra Curar – Tuyo
Pra dias ruins – Mahmundi
Ofertório – Caetano, Moreno, Zeca e Tom Veloso
A Pele do Futuro – Gal Costa
Eterno Retorno – Pepeu Gomes
Bluesman – Baco Exu do Blues

Ramon Prates (site Bahia Rock)

Autoramas – Libido
Mahmundi – Para Dias Ruins
Maria Bacana – A Vida Boa Que Tem os dias Que brincam Leves
Mundo Livre S/A – A Dança dos Não Famosos
My Friend is Gray – Tasca
Os Pedrero – Deu um Treco no Teco-Teco
Oxy – Fita
Ronei Jorge – Entrevista
Rubra – Holos
The Courettes – We are the Courettes!

Renato Cordeiro (programa Multicultura – Educadora FM)

Pra Curar – Tuyo
Tônus – Carne Doce
Entrevista – Ronei Jorge
Depois Enfim – Cézar Mendes
Omindá – André Abujamra
Amar é para os fortes – Marcelo D2
Ofertório – Caetano Veloso, Moreno Veloso, Tom Veloso e Zeca Veloso
Deus é Mulher -Elza Soares
Brasileiro – Silva
Lição #2: Dorival – Quartabê

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 Comments

  1. Pingback: Os melhores discos baianos de 2018 segundo os especialistas » Para quem gosta de música sem preconceitos

  2. Pingback: Salvador celebra música de vanguarda no CMC Festival | » Para quem gosta de música sem preconceitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in