Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Faixa a faixa: Ronei Jorge apresenta seu novo álbum ‘Irmã’

Cantor e compositor de longa trajetória, Ronei Jorge vem desenhando uma carreira solo consistente após projetos com as bandas Ladrões de Bicicleta e Saci Tric. Depois de um elogiado primeiro disco, Entrevista (2018), o artista aparece agora com Irmã, um álbum que une sua proposta harmônica e melódica com camadas eletrônicas. São sete músicas inéditas e uma delas já gravada pela cantora e compositora Manuela Rodrigues. “Imagino que é o meu disco mais pop, no sentido clássico da palavra”, revela Ronei.

Veja também:

– 15 clipes de novas artistas brasileiras que você precisa conhecer.
– Amarante lança single/ clipe como prévia de álbum e anuncia turnê.
– Discos: Jadsa e sua massa pra biscoito fino.

Produzido por Livia Nery e Andrea Martins, o álbum foi gravado durante a pandemia de dentro das casas dos artistas ao longo dos últimos cinco meses. Em estúdio físico, foram realizadas breves gravações com músicos convidados, um por vez. Entre eles estão Ian Cardoso (violões e guitarras), Israel Lima (baixo), Taciano Vasconcelos (violões e guitarras), Tadeu Mascarenhas (baixo), Edson Rosa (guitarras e arranjo), Luisão Pereira (baixo e guitarras) e Luísa Muricy (voz). As duas produtoras participaram ainda respondendo por programações eletrônicas, arranjos, synths e vocais.

Ouça o disco enquanto vai conhecendo um pouco de cada faixa nas palavras de Ronei. 

1. Você Chegou Sorrindo

“Essa música tem na letra algo de alienação, destemor, teimosia. Algo que pode remeter a infância e a loucura. Tem um clima um pouco mineiro, bem melodioso. Livia colocou ao final da faixa a voz de Antônio e Luisa e essa é justamente uma faixa em que Luisa me ajudou na criação da frase vocal do especial da música. Tudo bem em família. Faixa produzida por Lívia Nery.”

2. Pode Durar

“Essa tem uma característica bem comum em meu trabalho. A letra mais dura, falando de situações mais pesadas e a música mais suave, bem “cantarolável”. Tem uma levada que lembra um pouco um ijexá e é uma das faixas mais diferentes do disco. Foi a última a entrar, estava num computador que tinha quebrado e só entrou porque eu consertei e resolvi procurar canções que tinha gravado. Mostrei algumas para as produtoras e escolhemos essa. Tem um baixo marcante de Israel Lima, com um respiro e elegância incríveis.”

3. Risos

“Essa é o single e a música mais antiga do repertório do disco. Eu gosto bastante dela e acho que mesmo sendo mais antiga, faz total sentido com o resto do repertório. O arranjo que Andrea fez encaixou muito bem, ficou uma balada, meio Soft rock. Tem uns synths que me trazem uma certa nostalgia, me lembram, não sei porque, alguma coisa de “Noturno”, música que Fagner cantava na trilha de Coração Alado e eu adoro. O arranjo de Andrea ficou fino, maravilhoso, muito bem cuidado.”

4. Melhor planeta

“Única faixa que tem parceria. Fiz com Edson Rosa num projeto que tínhamos e compusemos várias canções, “Parque de Diversões” é dessa leva. Esse arranjo também é o único que não é das produtoras. Edinho já tinha colocado esse clima meio Gainsbourg em cima dessa letra que fiz que acho meio realismo fantástico. Lívia deu um toque bem especial, mais trip hop, que acaba tendo a ver com Gainsbourg e Isaac Hayes, aproximando do repertório do disco.”

5. Agora

“Essa faixa une duas referências que passei para as produtoras: Sítio do pica pau e Soft rock. O riff tem uma coisa nostálgica, meio Sítio e a canção tem esse refrão num shuffle, eu tava pensando numa coisa bem pop pra essa canção. Andrea, que produziu essa, traduziu à perfeição essa ligação do Soft rock e Sítio nessa. Esse riff é bem Sítio, né?:)”

6. Esse meu amigo

“Eu, uma noite, tava cantando isso em loop, ê saudade, ê, desse meu amigo que não está comigo agora. Foi uma saudade que pintou de meu amigo e parceiro musical Edson Rosa. Eu continuei cantando e a harmonia e melodia foram surgindo. Lívia fez um arranjo bem delicado.”

7. Mais bonita

“Eu tenho um carinho especial por essa. Acho que tem uma assinatura minha forte aí como compositor. Esse arranjo de Lívia é maravilhoso e o mais próximo da terceira referência nossa que foi o trabalho solo de Damon Albarn. Essa atmosfera vazia e de sonho são do arranjo, eu gosto muito. E tem umas guitarras muito sutis de Taciano Vasconcelos que culminam num solo maravilhoso.”

8. Canção n⁰1

“Fiz pra o nascimento de meu filho e é muito especial porque Luísa, minha esposa, que é atriz e cantora canta comigo. Ela já vinha cantando comigo nos shows do Entrevista e, como esse disco foi muito compartilhado com ela, acho que essa faixa coroa o disco. É uma canção que me orgulho muito de ter feito, pela estrutura e Andrea traduziu isso muito bem, deixando a canção falar.”

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in