Para quem gosta de música sem preconceitos, numa visão a partir da Bahia - :: el Cabong ::

Festival Suíça Bahiana divulga programação

Maglore, Rubel, Rael, Supercombo, Marcelo Gross e três atrações internacionais são os destaques da sexta edição do festival que acontece em Vitória da Conquista.

Consolidado como um dos principais festivais do interior baiano, o Suíça Bahiana, em Vitória da Conquista, divulgou a programação de sua edição 2018. Reunindo nomes estabelecidos do pop nacional, mesclados com novidades em ascensão, atrações latino-americanas pouco conhecidas e um bom apanhado da cena local, o festival segue como um dos mais interessantes do estado, cumprindo uma função importante na terceira maior cidade da Bahia. Com destaque para nomes como Maglore, Rubel, Rael, Supercombo e Marcelo Gross, a sexta edição do evento acontece de 19 a 21 de outubro, além de uma data de abertura no dia 28 de setembro.

Na programação há muito mais do que as atrações mais conhecidas. Assim como todo festival que se preze, é uma boa chance de se conhecer um punhado de nomes que ainda estão buscando um público maior. E se a cena musical baiana está em evidência no Brasil, a produção do interior do estado ainda é quase invisível. Mesmo com uma série de artistas interessantes, pouca coisa ultrapassa as fronteiras das próprias cidades. Conhecer o que anda sendo produzido nesses lugares já seria uma ótima razão para conferir festivais como o Suíça Bahiana, em Vitória da Conquista.

A cena local e a do interior do estado estão muito presentes, com mais de uma dezena de nomes, passando por uma diversidade de estilos, rap, mpb, rock, dancehall e eletrônica. Entre as atrações locais, a programação contará com as bandas Dona Iracema, Taro e Social Freak, o rap da Tr MC, o dancehall do Complexo Ragga, as cantoras Luiza Audaz e Ana Barroso, os rappers La Lunna e Supremo e os DJS Sckenov e Guerrero. O cenário do interior aparece ainda com o metal das bandas Erasy, de Feira de Santana, e Mórficos, de Eunápolis, o rap da Kbsativa, de Itabuna, e da Sangue Real, de Alagoinhas, o ragga do Roça Sound, também de Feira de Santana. Já a capital baiana será representada, além da Maglore, pela banda Inner Call e a cantora Aiace.

Para Gilmar Dantas, organizador do Suíça Bahiana, a importância de festivais em cidade como Conquista é justamente ter um espaço para dar visibilidade às cenas culturais locais. “É um espaço de intercâmbio das bandas locais com outros artistas, de ampliação de público consumidor de música”, diz. Ele ressalta também que o festival acabou se tornando um símbolo de resistência na cidade. “Em 2012, por exemplo, chegamos a ter nove festivais na cidade: Grito Rock, Rock Cordel, Festival Suíça Bahiana, Festival da Juventude, Festival Avoador, Festival de Música da Bahia (FMB), FestUesb, Conexão Vivo e Natal da Cidade. Destes, somente o FSB continua em atividade”, explica.

Novidades – A grande novidade para essa sexta edição é a realização no Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima, um espaço cultural gerido pelo Governo do Estado e que passou um longo período de portas fechadas. “É o espaço que a gente sempre fez eventos, desde 2003. Vários festivais. Mas como estava fechado há cinco anos, nunca pudemos utilizá-lo pro Suíça Bahiana. Também destacamos o fato de termos palco temáticos: sábado será destinado ao rock pesado e domingo ao hip hop”, explica.

Outra novidade é a presença de três nomes internacionais, as bandas chilenas La Pichanga e Fiebre Séptica e a cantora argentina Cata Raybaud, ampliando o diálogo com o cenário latino-americano. La Pichanga faz uma empolgante mescla de ska, punk, cumbia e funk, com sopros e muita energia; Fiebre Séptica faz death e trash metal, enquanto Cata Raybaud tem um trabalho focado em canções folk latino americanas.

De fora da cidade também merecem atenção, além dos nomes mais conhecidos, como a banda Maglore, o rapper Rael e o jovem cantor Rubel, nomes como o ex-Cachorro Grande Marcelo Gross, em seu projeto solo; a elogiadíssima banda de rock paraense Molho Negro, que costuma fazer shows históricos, o indie dos mineiros da Young Lights e o interessante Tagua Tagua, de São Paulo.

– Conheça mais de alguns dos artistas programados depois da programação abaixo:

PROGRAMAÇÃO

Warm Up – Janela Cajaíba – SEXTA 28/09

02:30h Sckenov (BA)
01:00h RAEL (SP)
00:00h Supremo (BA)
23:00h La Lunna (BA)
22:00h Guerrero (BA)

Festival Suíça Bahiana – Teatro do Centro de Cultura – SEXTA 19/10

23:00h SUPERCOMBO (ES)
22:00h Ana Barroso (BA)
21:00h Aiace (BA)
20:00h Cata Raybaud (ARG)
19:00h Taro (BA)

Festival Suíça Bahiana – Concha Acústica do Centro de Cultura – SÁBADO 20/10

PALCO MANECA GROSSO
22:00h MAGLORE (BA)
20:40h Molho Negro (PA)
19:20h Marcelo Gross (RS)
18:00h Folks (RJ)
16:40h Dona Iracema (BA)

PALCO DESORDEM
21:20h Fiebre Séptica (CHI)
20:00h Erasy (BA)
18:40h Inner Call (BA)
17:20h Mórficos (BA)
16:00h Social Freak (BA)

Festival Suíça Bahiana – Concha Acústica do Centro de Cultura – DOMINGO 21/10

PALCO MANECA GROSSO
21:10h RUBEL (RJ)
20:00h Young Lights (MG)
18:50h La Pichanga (CHI)
17:40h Tagua Tagua (SP)
16:30h Luiza Audaz (BA)

PALCO BANCA SUL
20:40h Roça Sound (BA)
19:30h Complexo Ragga (BA)
18:20h Sangue Real (BA)
17:10h Tr mc (BA)
16:00h Kbsativa (BA)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Log in