Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

Discos: Jeferson Devon é uma voz que cria Asa de Cobra

Jeferson Devon é uma voz que cria Asa de Cobra (2020), diretamente da Suburbana, o rapper “baiano” segue buscando o seu caminho na música.

Por Danilo Cruz

Se você vive no Subúrbio Ferroviário ou visita as localidades, bairros que compõem essa parte castigada e extremamente bonita de Salvador, sabe a dificuldade de chegar por lá, à distância para o “centro”. É de lá que vem orgulhoso e com muito talento o rapper Jeferson Devon, oriundo do Jardim Valéria, conhecido também como Fazenda Coutos. Na geografia soteropolitana o Subúrbio se destaca como uma parte da cidade historicamente excluída, mas que guarda locais de extrema beleza natural, produtora de diversas manifestações culturais importantes para a cidade e obviamente morada de parte da classe trabalhadora da nossa cidade.

Veja também:
BaianaSystem prepara disco de versão dub e novidades.
Riachão deixou obras inéditas gravadas e pode ganhar discos póstumos.
Discos: Ivana Gaya, pagode baiano e mpb.
Entrevista: Underismo, os ‘preto chave’ do rap.

Foi ali que surgiu o grupo N’Ativa, que tivemos a oportunidade de acompanhar desde cedo, o grupo gerou a banca NaCalada que agregou muitxs MC’s talentosos, beatmakers e videomakers, muito talentosos da cidade. Ajudaram ali naquela altura a revelar muitos talentos que estão quase todos aí na ativa. Jeferson Devon fez parte e vem seguindo uma carreira solo muito regular na qualidade de suas produções.

Buscando na maior parte dos últimos singles solo lançados lapidar sua própria linguagem artística, produzindo parcerias e trilhando seu caminho com a delicadeza, com a suavidade que parece ser seu principal traço distintivo. Falando de relacionamentos, entregando observações do cotidiano, brincando com sonoridades. O fato é que nesse caminho, Devon vem conquistando visibilidade ao mesmo tempo em que vai de modo artesanal trabalhando seu estilo, e o que temos ouvido nos agrada.

Sabe-se da dificuldade de um jovem artista periférico conquistar seu espaço e observando o Jeferson Devon, notamos uma tranquilidade que nos parece fundamental, para conseguir fazer primeiramente sua música. Nos últimos 3 anos ele soltou exatos 4 singles. Tal número exíguo de trabalhos, aqui não estamos contando as participações. se nos mostra uma fuga de uma correria para lançar muita coisa e um certo desespero por atenção, que Devon parecer não ter. E essa forma de entender-se enquanto um artista, com dificuldades de produção, tem nos parecido contribuir bastante para o desenvolvimento tanto de sua visão de mundo quanto no seu posicionamento no jogo e da sua arte nesse contexto.

Dos quatro singles lançados, ele soltou Grana (2019) com a participação do mano Senpai e do seu ex-parceiro de grupo Dactes. A faixa veio com um vídeoclipe bem produzido… Esse ano foi a vez de Jeferson Devon, produzir uma bonita afirmação que de algum modo coaduna com o que dissemos acima. A faixa single Asa de Cobra traz a produção do grande Mimoso (GANA), responsável entre outros trabalhos pela produção do disco icônico do rapper Trevo NDSS (Nada de Novo Sob o Sol). O audiovisual com roteiro do próprio Devon, tem a direção do Jeferson Tex, de Matheus Lens e do próprio.

Nesse contexto, o artista nos apresenta o seu lugar de partida e os meios pelos quais pretende alçar voo. Com as crianças da sua quebrada ao lado, registrando os movimentos deles onde ele também já se movimentou e segue buscando se movimentar, o audiovisual registra o subúrbio ferroviário sem maquiagem, na dignidades dos trabalhadores e no movimento cotidiano. Outra qualidade evidente está no refrão muito bem cantado pelo rapper e nas linhas cuspidas com certeza e agressividade contida, bem posta, citando Racionais MC’s e denunciando exclusões e sonhos.

O beat trap com a guitarra do Mimoso na produça, carrega com bastante qualidade a essência do hip hop nas linhas e na produção como um todo. Nos propõe uma reflexão sobre o quanto a arte é responsável por dar vida a talentos embrutecidos nessas localidades esquecidas pelo poder público e vitimada por uma série de mecanismos de exclusão.

Mas sobretudo, nos mostra o quanto o próprio Jeferson Devon é dessas cobras criadas em meio a dificuldades inaudíveis, num território hostil e que mesmo assim, conseguem desenvolver asas para elevar-se e aos seus. É de mensurar se o Hip-Hop salva vidas ou as potencializa e o fato é que independente da resposta, a suburbana está bem representada, o rap baiano também. Jeferson Devon nasceu em Pernambuco mas foi nas ruas do Subúrbio Ferroviário de Salcity que descobriu e aprendeu o rap, é tudo nosso…

* Danilo Cruz é um dos responsáveis pelo site Oganpazan

1 Comentário

  1. Pingback: Os lançamentos da semana, de BaianaSystem a Fiona Apple e muito mais » Para quem gosta de música sem preconceitos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in