Para quem gosta de música sem preconceitos - el Cabong

As novidades musicais dos últimos dias pelo planeta

Você já se deu conta do número de músicas que é produzida diariamente no planeta? E na quantidade de artistas que segue criando, produzindo e apresentando suas obras mesmo diante do quadro difícil em que vive o mundo neste momento? Impossível dar conta de tudo, mas o el Cabong ajuda um pouco e reúne semanalmente alguns dos principais e relevantes lançamentos pelo mundo.

Veja também:

Nova Brasil FM abre espaço para música contemporânea.
A nova música do Nordeste através de 35 videoclipes.
Selos independentes resistem e ganham terreno.

Esta semana reunimos os novos trabalhos de Lana Del Rey, Mart’nália, Jon Batiste, Loretta Lynn, Roberto Mendes, Ringo Starr, Filipe Ret e Luiz Gabriel Lopes. Tem também uma releitura de músicas de Di Melo, com ele e convidados como Josyara e Arthur Nogueira recriando sua obra; a trilha-sonora do filme Her por Arcade Fire & Owen Pallet, só lançado agora; um EP novo do Secos & Molhados/ João Ricardo; um disco duplo Alex Somers (Sigur Rós); o pernambucano Fernando Caneca  recriando o álbum Refazenda, de Gilberto Gil. Tem ainda uma coletânea de mulheres acusadas de bruxaria em Gana; rap do Congo; pop eletrônico de Borneo e muito mais, só falando de álbuns e EPs.

Singles

No apanhado de singles, tem música nova do Jesus and Mary Chain,  Cypress Hill, Teenage Fanclub, Samba Touré, Laura Mvula, a estreia solo de Henrique Portugal (tecladista do Skank), música de Sharon Van Etten por Lucinda Williams. Tem ainda encontros de nomes como Tony Allen e Artur Verocai, Rita Benneditto com Zeca Baleiro, Helado Negro e Tune-Yards, Joana Terra e Almério, Thiago França e Meno Del Picchia, Di Souza e Luiza Brina, entre outros. Ouça tudo na playlist abaixo e aproveite e siga para se manter atualizado dos lançamentos do mês.

Álbuns

Lana Del Rey – Chemtrails Over the Country Club
O sétimo álbum da cantora norte-americana estava cercado de expectativas e ela mantém a sonoridade entre o indie pop, soft rock e pop barroco, agora com arranjos mais enxutos e passeando também por folk e country, com direito a cover de Joni Mitchell.

Witch Camp (Ghana) – I’ve Forgotten Now Who I Used To Be
Em Gana, há assentamentos para proteção de mulheres acusadas de bruxaria por diferentes razões. Este disco reúne gravações feitas nesses lugares, com as vozes de várias dessas mulheres e usando objetos do ambiente como instrumentos, de cascas de milho, a bule de chá e latas.

Arcade Fire & Owen Pallet – Her
Quase oito anos após o filme de Spike Jonze, finalmente a trilha do sonora do filme Her (Ela) chega ao público.  A trilha chegou a ser indicada ao Oscar e sai agora em diversos formatos.

Mart’nália – Sou Assim Até Mudar
Em 13º álbum da carreira, a carioca promove um encontro do samba com a black music, com direito a versões de músicas de Roberta Flack e Babyface, feitas por Nelsom Motta, além de participações de Johnny Hooker e da atriz Adriana Estevez.

Chad VanGaalen – World’s Most Stressed Out Gardener
Em seu oitavo álbum de estúdio, o artista canadense faz mais um de seus trabalhos excêntricos, que une folk psicodélico, pós punk, kraut rock com harpas, sintetizadores, flautas, violões, xilofones e instrumentos caseiros.

American Culture – For My Animals
A banda de Denver apresenta em seu novo álbum um bom resumo do indie rock norte-americano, trafegando por sonoridades lo-fi, noise pop, new wave e guitarras sujas.

Jon Batiste – We Are
Coautor da trilha sonora de Soul, o cantor, compositor e pianista originário de Nova Orleans aproveitou os intervalos das gravações para produzir seu novo disco que une jazz, R&B, hip-hop, swing e pop.

Loretta Lynn – Still Woman Enough
A veterana cantora e compositora norte-americana e ícone da country music lança seu 50º álbum de estúdio aos 88 anos, uma espécie de retrospectiva da carreira, misturando novas canções e versões de antigas composições.

Jane Inc – Number One
Camadas de sintetizadores, guitarras, um baixo marcante e uma voz hipnótica se cruzam nesse trabalho de estreia da canadense, que integra o duo pop Ice Cream e aqui traz uma espécie de art pop.

Mooniz – Mergulho
Álbum de estreia do cantor e compositor pernambucano, que em tom autobiográfico passeia pela música brasileira em contato com pop, indie, sons latino e psicodelia.

Dabliueme – Aqui Jazz
Como o título de seu 17º álbum indica, o MC de Itapetininga (SP) propõe uma obra livre, fazendo suas rimas e batidas trafegarem por jazz, mas também por soul, funk, samba rock, bossa nova e muita música popular brasileira.

Gazelle Twin & NYX – Deep England
Raízes na música pagã e sacra expandidas através de música ambiente e experimental formam a proposta deste novo trabalho do coral eletrônico inglês.

Paloma Mami – Sueños de Dalí
Disco de estreia da cantora e compositora chilena-americana, que desponta com potencial para grande estrela pop com uma mescla de reggaeton, R&B, trap e soul.

Alex Somers – Siblings e Siblings 2
O músico, compositor, produtor e artista visual, que integra as bandas Sigur Rós e Jónsi, lança na estreia solo dois álbuns simultâneos que compôs entre 2014 e 2016. O que se ouve são trilhas-sonoras de filmes, música ambient, pós-rock e música eletrônica.

Fernando Caneca – Refazendo
O violonista, guitarrista e compositor pernambucano presta uma homenagem ao clássico álbum Refazenda, de Gilberto Gil (1975), recriando todas as faixas em novos arranjos e recheado de participações especiais.

Fat Ray – Santa Barbara
O rapper de Detroit estreia com um street rap que remete ao que era produzido décadas atrás, com samples, melódicos, batidas, colagens e texto reforçando esse sentimento.

Cecilia Beraba – Eterno Meio-Dia – Parcerias com Jorge Mautner
A cantora e compositora carioca reúne parcerias com o grande Jorge Mautner. São onze músicas inéditas, nas quais ela colocou melodias em escritos de várias fases do artista.

Meemo Comma – Neon Genesis: Soul Into Matter²
Sintetizadores, breakbeats, cânticos aramaicos e ruídos são o tom desse novo disco de ambient music da artista inglesa.

Victor Seixas – Gesto Bruto
Com carreira consolidada no teatro, o artista carioca estreia nesse disco como cantor e compositor, apresentando uma sonoridade marcado pela diversidade de ritmos e temáticas que circundam o universo LGBTQIA+.

William Doyle – Great Spans of Muddy Time
Em seu novo álbum, o jovem artista londrino produz uma obra imprevisível entre pop, art-rock, ambient, krautrock e composições idiossincráticas.

Starrah – The Longest Interlude
Compositora de alguns dos nomes mais importantes do pop atual, a norte-americana estreia na carreira solo com um trabalho produzido por feras como Nile Rodgers, Skrillex, Boi 1da e James Blake.

New Age Steppers Avant Gardening
Uma compilação de músicas gravadas no começo dos anos 1980 que estavam perdidas, com importantes músicos de reggae e do pós-punk.

Youssoupha – Neptune Terminus
O rapper, compositor e arranjador vocal congolês lança seu novo trabalho, o 9º da carreira, mostrando um álbum conceitual baseado em imagens cósmicas.

EPS

Roberto Mendes – Catetê
O mestre baiano lança seu novo trabalho, mantendo a ligação com a cultura e os ritmos do Recôncavo baiano e o violão singular, em cinco faixas inéditas.

Luiz Gabriel Lopes – Sóis
O cantor e compositor mineiro, fundador dos grupos Graveola e Rosa Neon, lança seu quarto trabalho solo, mantendo sua pesquisa entre o pop e as raízes da música brasileira.

Di Melo e convidados – Podível e Impodível
O multiartista e ícone da black music nacional é revisitado por nomes da nova geração, além de fazer uma releitura atual de uma música de seu clássico álbum de 1975.

Tentrio – Anonimal
O trio baiano está de volta com a formação original, agora num trabalho mais lofi, concedido e gravado à distância pelo isolamento social, e pela primeira vez incluindo vocais.

Paiol Sonoro – Dia Útil
Vindo do norte do Rio de Janeiro, o quarteto apresenta em seu primeiro álbum uma mescla de ritmos brasileiros e latinos em meio a reflexões pessoais, sociais e políticas.

Evripidis and his Tragedies – Neos Kosmos
Em seu quinto álbum, o greco-espanhol Evripidis Sabatis mergulha no synthpop puro, passeia pelos anos 1980, em canções de temáticas queer e gay cantadas em inglês, espanhol e grego.

Ringo Starr – Zoom in
O eterno baterista dos Beatles lança seu novo trabalho recheado de participações de nomes de peso do pop mundial (Paul McCartney, Dave Grohl, Sheryl Crow, Lenny Kravitz e Ben Harper são alguns deles) e com um clima de alto astral e otimismo.

Mbé – Rocinha
A persona do artista, pesquisador, produtor e engenheiro de som carioca Luan Correia expõe aqui o resultado de suas experimentações sonoras acerca da ancestralidade.

Bad Gyal – Warm Up
O novo trabalho da cantora, compositora, produtora e DJ catalã é mais um aquecimento para seu disco de estreia, trafegando pelas sonoridades da América Latina, como dancehall e reggaetón, em encontro com R&B, trap e pop.

Giovanna Moraes – III
Terceiro álbum da cantora, compositora e multi-instrumentista que faz uma música que flerta com MPB, indie rock e eletropop

Secos & Molhados/ João Ricardo – & Etc. & Etc.
Uma das mais importantes bandas da música brasileira, o Secos & Molhados tem uma história cheia de confusões e brigas. Detentor dos direitos sobre a banda, o cantor João Ricardo lança esse novo trabalho.

Ale Sater – Fantasmas
o vocalista e baixista da banda paulista Terno Rei, lança mais um trabalho solo, um EP com conceito audiovisual, que mostra uma sonoridade intimista entre o indie pop e a MPB.

Ana Talita – Música Azul para o Escuro
A cantora e compositora pernambucana radicada em São Paulo lança seu trabalho de estreia com produção musical de Samico e uma sonoridade que permeia o trip hop.

April + VISTA – Pit of My Dreams
O duo de Washington dá continuidade ao álbum You Are Here de 2018, com um tom mais sombrio, com violinos e sintetizadores se entrecortando com a bela voz de April George.

Filipe Ret – Imaterial
Mais um trabalho com conceito audiovisual. Aqui o rapper carioca apresenta 5 faixas, sendo 4 inéditas, em que dá continuidade a sua musicalidade calcada no trap.

LÂLKA – The Way Music Looks
Com origem em Borneo e residente na Austrália, a artista estreia com este trabalho onde apresenta um pop estranho, um frenesi angustiante que passa por club, europop, punk e R&B.

Pedro Longes – Canções de Amor e Solidão
O cantor e compositor gaúcho fala das sutilezas da vida cotidiana e da solidão, em um trabalho que trafega entre a música brasileira e latina, com arranjos estruturados basicamente em cordas e percussões.

DJ Berlota – Beat-Tape Berlota, Volume 1
Se utilizando de referências diversas da música instrumental, o produtor e DJ soteropolitano Berlota lança seu primeiro EP passando por funk carioca, trap, drill londrino, boom bap e dubstep.

CoisaLuz – Afroameríndia
Formada por mulheres musicistas, cantoras e compositoras, a banda de Mossoró, no Rio Grande do Norte, lança seu trabalho de estreia com sonoridade calcada na música brasileira e discursos identitários.

Colônia – Melaço
Um apanhado de canções produzidas esporadicamente na última década pela banda paulista, num misto de experimental, ambient pop, shoegaze e synth-rock, com direito a cover de clássico de Belchior.

Flavia K – Nítida
EP ao vivo da cantora e pianista de São Bernardo do Campo, que trafega por indie soul, R&B alternativo, jazz e música brasileira.

Bitch Diesel – Hail
Antes de lançar seu álbum de estreia, a banda australiana, formada só por mulheres, solta esta prévia (também em cassete) com quatro faixas que unem guitarras dilacerantes, sintetizadores e bateria eletrônicas. Garage punk rock contemporâneo de primeira.

Vegyn – Like a Good Old Friend
O requisitado produtor lança seu mais novo trabalho passeando por deep house, glitch, música eletrônica e ambient rap.

james K – 036
A artista experimental e multidisciplinar de Nova York apresenta seu novo trabalho baseado em camadas de sintetizadores, vocais celestiais, som ambiente e beats eletrônicos.

Daniel ADR- PJL
Vindo de Guamá, bairro mais populoso de Belém, o rapper faz uma viagem aos anos 80, mesclando rap, trap e house e falando de violência, tráfico, amizade, amor e liberdade.

Zuli – All Caps (UIQ0012)
Depois de ter um laptop roubado, o artista egípcio teve que começar do zero a produção de seu novo trabalho, um apanhado de loops, beats e efeitos fragmentados e distorcidos, num misto de jungle, experimental e techno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Log in